eletrocardiograma

          Eletrocardiografia é o registro de campos elétricos gerados pelo coração a partir da superfície corpórea. O eletrocardiógrafo combina eletrodos no corpo em derivações, constituindo dois pólos (um positivo e um negativo); composto pelas derivações bipolares I , II e III, as derivações unipolares aumentadas avR, avL e avF, e as derivações precordiais unipolares CV5RL, CV6LL, CV6LU e V10.Trata-se de um método diagnóstico não invasivo, atraumático, indolor, de fácil obtenção e complementar à avaliação clínica, registrado em papel milimetrado.

 É indicado em várias situações, tais como:

– Para diagnóstico preciso de arritmias detectadas no exame físico;
– Avaliação pré – cirúrgica;
– Fornece indícios de efusão pericárdica;
– Para monitoração de periocardiocentese;
– Em casos de síncopes ou convulsões;
– Na avaliação de pacientes submetidos á terapia com fármacos cardíacos;
– Em casos de cardiomegalia observada em radiografias;
– Registro permanente da freqüência e ritmos cardíacos em animais
  arrítmicos;
– Para assegurar um procedimento anestésico seguro e mais eficiente;
– Em animais que apresentem cianose;
– Nas doenças sistêmicas que acarretem miocardite tóxica como na
   piometra, pancreatite, uremia e neoplasias;
– Em distúrbios eletrolíticos, especialmente em alterações do potássio;
– Em casos de início agudo de dispnéia;
– Para auxiliar no diagnóstico e prognóstico das doenças cardíacas;
– Em check-ups anuais, especialmente em paciente adultos e idosos.
          O exame eletrocardiográfico é realizado com o paciente devidamente acomodado em uma mesa com isolamento elétrico, em decúbito lateral direito. Não há necessidade de sedação. Tem duração aproximada de 3 minutos, podendo durar mais caso seja necessária monitoração de eventos arrítmicos. O ECG fornece informações sobre freqüência cardíaca, ritmo e condução intracardíaca bem como sobre isquemia miocárdica; pode também sugerir a presença de aumento de uma câmara específica, doença miocárdica, isquemia e doença pericárdica.
                O ECG isoladamente não pode ser utilizado para o diagnóstico de aumento de câmaras cardíacas, insuficiência cardíaca congestiva ou para avaliação das contrações cardíacas. O ECG não avalia a anatomia cardíaca bem como a atividade mecânica do coração.
                Portanto com o uso deste recurso diagnóstico podemos assegurar uma anestesia segura e eficaz, realizar exames preventivos de check-up, realizar o correto acompanhamento de pacientes cardiopatas em tratamento e detectar prematuramente uma doença cardíaca, iniciando imediatamente o tratamento e então assegurando uma melhor qualidade de vida aos pacientes.

 

Aparelho de Eletrocardiograma

Aparelho de Eletrocardiograma